Silêncio

19 de maio de 2016
Hoje venho falar-vos de um livro que li este ano e me marcou. Não é um romance ou um policial, nem nenhum dos géneros que as pessoas lêm para passar o tempo. É um livro científico sobre a personalidade, com estudos e acontecimentos reais, contados na primeira pessoa: "Silêncio - O Poder dos Introvertidos num Mundo que Não Pára de Falar". Incide sobre as diferenças entre os introvertidos e os extrovertidos, com destaque dos primeiros, que sempre foram negligenciados por serem mais calados. Este livro vem ajudar a perceber e a aceitar os contornos da personalidade, de uma forma extraordinariamente cativante.



O livro é narrado por Susan Cain, conferencista e escritora, que nos conta o seu percurso ao longo dos vários anos em que se dedicou a aprofundar os seus conhecimentos sobre estes dois tipos de personalidade, chegando à conclusão de que a cultura ocidental moderna não compreende, e subestima, as qualidades e a capacidade das pessoas introvertidas. Os introvertidos são as pessoas que preferem ouvir a falar, ler a socializar; que inovam e criam mas não gostam de se autopromover; que privilegiam o trabalho solitário às sessões de brainstorming coletivo. Embora seja habitual rotulá-los de silenciosos, a história mundial está cheia de introvertidos, como Einstein ou Van Gogh.


Susan vai contando sobre os estudos que leu, as conversas que teve, as pessoas que conheceu e acontecimentos históricos ligados ao tema, ao mesmo tempo que nos vai explicando cada um destes tipos de personalidade. Claro que os protagonistas do livro são os introvertidos, que vivem num mundo em que não são ouvidos, num mundo que não se cala. Como disse o New York Post, "este livro demonstra até que ponto é profundo e perturbador o domínio dos extrovertidos". Isto porque na maioria das vezes, uma pessoa mais calada e introspetiva tem coisas muito mais interessantes a dizer (se a deixarem falar) e atitudes mais acertadas a tomar (se a deixarem agir) do que um extrovertido, que geralmente fala e faz sem pensar primeiro. A história está repleta de exemplos, e à medida que lemos o livro percebemos que também a nossa vida o está.

Eu sou uma pessoa introvertida que vive com uma pessoa extrovertida, e foi muito engraçado perceber que grande parte dos nossos comportamentos estão ligados a esta coisa tão intrínseca que é a personalidade. Aprendi igualmente a aceitar determinadas atitudes que tomo, que muitas vezes são criticadas ou incompreendidas por outras pessoas. Assim como aprendi a aceitar algumas atitudes que os extrovertidos tomam e que eu também julgava. No entanto, concordo que os extrovertidos devem tentar ouvir mais e falar menos, porque sofro muitas vezes por não conseguir fazer-me ouvir, tanto na minha vida pessoal como profissional (e por isso começar este blog fez tanto sentido para mim).

Mas Susan explica também que precisamos uns dos outros no nosso dia-a-dia. São necessários os dois tipos de personalidade para o mundo funcionar e evoluir. Um livro muito interessante, best seller e que foi capa da revista Time. À venda na FNAC por 15.00€.



Comentar
Enviar um comentário