Manter a Forma na Gravidez

13 de junho de 2017
Sempre me preocupei com a minha imagem e o meu corpo, e não é vergonha nenhuma dizer que o continuo a fazer na gravidez. Não acho que uma mulher tenha de se "anular" para ser mãe, porque continuamos a ser mulheres. Para além de ser importante estarmos satisfeitas com o nosso reflexo no espelho, queremos que o nosso marido/namorado continue a olhar para nós da mesma forma. O meu médico é rigoroso no que toca ao peso, e logo na primeira consulta deu-me alguns conselhos, que sigo à risca, por mais teorias que ouça à minha volta. Hoje partilho tudo convosco, porque muitas me perguntam como consigo manter a forma nesta fase.


Antes de mais, quero dizer-vos que não sou daquelas criaturas abençoadas por Deus, que podem comer tudo o que lhes aparece à frente e, mesmo assim, manter um corpo bonito. Não sou. Sempre fiz exercício físico e sempre me alimentei de forma saudável para ter o corpo desejado. E quando engravidei tive a perfeita noção que, se me desleixasse, ia correr mal. Por isso estes são os conselhos de uma mulher... comum.

Alimentação
A minha principal preocupação no dia-a-dia é fazer uma alimentação saudável e diversificada, à base de alimentos que sei que são bons para o meu bebé. Essencialmente, muitos legumes e frutas, lacticínios, cereais, gelatina, carnes brancas e peixe. Claro que cometo os meus excessos de vez em quando, e tenho os meus "desejos", mas tento controlar para que sejam excepções na minha rotina. Em relação à típica frase "agora tens de comer por dois", o meu médico disse-me logo que era um mito, claramente inventado por mulheres que se aproveitam do seu "estado de graça" para comer a dobrar e o que lhes apetece. E deu-me um conselho ótimo, que tenho seguido: comer menos quantidade e mais vezes (3 em 3 horas). Desta forma, nunca tenho fome e consigo controlar o peso - para além de me sentir muito melhor e com mais energia! Obviamente que cada corpo é um corpo, o metabolismo é diferente e a propensão para engordar ou não também. Mas é uma questão de "ouvirmos" o nosso corpo e também o nosso médico.

Vida ativa
Tive a sorte de ter uma gravidez santa (pelo menos até agora, que estou a chegar ao 7º mês), por isso consegui manter a minha vida normal, ou seja, uma vida ativa e saudável. Tenho plena noção do quanto isto é importante! Quanto mais nos mexemos, mais energia temos e o nosso corpo agradece. Mas sou solidária com as grávidas que têm enjoos diários, ou barrigas muito grandes, e tenho noção que isso pode ser muito limitativo. Claro que é preciso ter sempre cuidado e deixar algumas tarefas mais pesadas de lado, mas ainda assim não deixei de ir ao supermercado todas as semanas, de trabalhar normalmente (isto é, organizar eventos), de ir a festas e eventos do blog, de andar de um lado para o outro a tratar de coisas, etc. Por isso, para as que se sentem bem, fica aqui o meu conselho: mantenham uma vida ativa. Sim, o sono é muito e a preguiça cada vez maior (acho que disso nenhuma escapa), mas há-que ter força de vontade!

Exercício físico
Toda a gente sabe que o exercício físico é aconselhado durante a gravidez. Tanto promove o bem-estar durante os 9 meses, como ajuda no parto, como ainda ajuda a voltar à forma depois. Claro que deve ser adaptado e acompanhado por um profissional que saiba o que está a fazer. Isto é muito importante! Há muitas coisas que não devemos fazer, nomeadamente o que tem impacto, e também vários exercícios que esforçam demasiado o abdominal. A Dra. Alexandra Matias, especialista na área e uma amiga cuja opinião valorizo muito, disse-me que "os treinos das Carolinas Patrocínios e companhia são um exagero e podem levar a rupturas dos músculos no futuro". Ou seja, o importante aqui é encontrar o equilíbrio e ter bom senso, e ter em conta o nosso estilo de vida pré-gravidez. Eu faço musculação desde a adolescência e confesso que deixar o meu treino habitual me custou bastante, mas faz parte e fizeram-me um treino adaptado. O que interessa é não parar, pelo menos até ao 3º trimestre. É muito aconselhado o Pilates, o Ioga, a Natação... Caso não estejam habituadas a fazer exercício físico, não é aconselhado que comecem na gravidez. Apostem nas caminhadas!

Cremes e massagens
Comecei a dedicar-me mais à hidratação do corpo a partir do momento em que comecei a tentar engravidar, para que a minha pele ficasse bem elástica. E comecei a usar diariamente um creme anti-estrias mal soube que estava grávida. Iniciei também uma rotina de massagens de drenagem linfática, porque tenho péssimos genes no campo da circulação, e comecei a usar meias elásticas e a dormir com uma almofada por baixo do colchão, para elevar as pernas. Comecei também a dormir com um soutien de desporto, para evitar as estrias no peito (porque cresceu imenso logo nas primeiras semanas). Estas pequenas coisas ajudam a prevenir ou pelo menos a minimizar alguns problemas, como o inchaço, pernas cansadas, varizes, estrias...

E é isto. Atenção que se trata apenas da minha visão das coisas e da minha forma de levar a gravidez, com base nas recomendações do meu médico e do meu estilo de vida antes de engravidar. E funciona comigo, visto que tenho uma bebé super saudável a crescer dentro de mim, e só engordei 6 kgs até agora (estou a chegar aos 7 meses, como disse acima). Acho mesmo que o mais importante é ouvirem o vosso médico e o vosso corpo. Aproveito para partilhar uma app top: Ovia Pregnancy.

Comentar
Enviar um comentário